Histórico

Com o objetivo de centralizar as atividades de desenvolvimento tecnológico para a produção de Insumos Farmacêuticos Ativos, em escala piloto e semi-industrial, em 20 de dezembro de 1985, o grupo NORQUISA criava a subsidiária NORTEC-NORDESTE QUÍMICA DESENVOLVIMENTOS TECNOLÓGICOS LTDA, célula-embrião da NORTEC QUÍMICA S.A.

Em 17 de janeiro de 1986 é celebrado o primeiro termo aditivo ao Acordo de Cooperação Tecnológica entre a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) e a NORTEC-NORDESTE QUÍMICA DESENVOLVIMENTOS TECNOLÓGICOS LTDA, dando continuidade ao processo de desenvolvimento tecnológico de fármacos no país. Ainda no mesmo ano, como conseqüência dos resultados de pesquisa aplicada, a Empresa inicia a sua primeira ação executiva, que culmina na implantação de uma unidade protótipo multi-propósito (que se define para as primeiras Produções em Escalas Indústriais), localizada no Distrito Industrial de Duque de Caxias, em Xerém.

Um marco na relação histórica entre a NORTEC QUÍMICA e a FIOCRUZ é o projeto de recuperação do Castelo de Manguinhos, sede da FIOCRUZ, localizado na Avenida Brasil, Rio de Janeiro. Através de convênio firmado entre a FIOCRUZ e o grupo NORQUISA, a NORTEC QUÍMICA participa da recuperação do prédio de inestimável valor histórico-cultural.

Entre 1987 e 1988, com a confirmação dos resultados de laboratório e escala piloto, através de corridas experimentais e início de pré-comercialização, tem início o projeto de implantação da Unidade Protótipo, com objetivo comercial, contando com a consultoria internacional de profissional especializada (ex- Sterling Drugs) em Projetos de Engenharia Química, qualificados nas melhores práticas de GMP (Good Manufacturing Practice). A Nortec já se baseava em alicerçar todas as suas convicções e concentrações acadêmicas de que esta Indústria Química de Life Science (Ciência da Vida) tinha que se iniciar adaptando-se aos melhores conceitos de Engenharia Química e de Tecnologia Industrial, da Europa Ocidental, Japão e Estados Unidos. O sucesso da tecnologia de produção em escala industrial para ANESTÉSICOS LOCAIS de uso injetável, foi caracterizado pela venda imediata no mercado interno de lidocaínas e prilocaína cloridrato para a ASTRA (XYLOCAINA® e CITANEST® - líderes de venda no mundo).

Iniciada a produção, em escala comercial (Unidade U-10), dos Insumos Farmacêuticos Ativos LIDOCAÍNA e PRILOCAÍNA, especificados pela Farmacopéia americana e britânica (USP/BP) e considerados como primeira prioridade na saúde pública do Brasil pela Relação Nacional de Medicamentos (RENAME) da então CEME (Central de Medicamentos), do Ministério da Saúde.

Com o Plano Collor e a Abertura do Mercado Brasileiro às importações, o País vê a sua indústria de Química Fina sofrer forte golpe, com o fechamento de 1.096 unidades produtivas e o cancelamento de outros 355 projetos industriais, de acordo com dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). No cenário de crise que envolveu o País, a NORTEC NORDESTE QUÍMICA DESENVOLVIMENTOS TECNOLÓGICOS LTDA dá uma demonstração de sua capacidade de Gestão Empresarial, Tecnológica e Industrial, modernizando processos produtivos e iniciando a importação de Intermediários de Síntese da Alemanha, Índia e China, ajustando os processos de fabricação às exigências da “Globalização”. A NORTEC QUÍMICA sobreviveu e continuou suas operações sem se endividar com bancos comerciais e, principalmente, sem canibalizar a sua área de P&D, fugindo da prática usual de demissões na época, por acreditar que a Indústria Química é uma indústria de Base Tecnológica e que a Química é uma ciência Experimental; conservando assim, todas suas tecnologias e conhecimentos empíricos, tecnológicos como uma típica "People Dependant Company".

A NORTEC-NORDESTE QUÍMICA DESENVOLVIMENTOS TECNOLÓGICOS LTDA inicia a produção de Espironolactona (insuficiência cardíaca) para fornecimento à multinacional Searle (hoje Pfizer). Este processo envolveu a transferência de tecnologia internacional pela Searle, com visita e treinamento dos Engenheiros da Empresa, diretamente na unidade industrial de Morpeth (Inglaterra). Em 19 de novembro, a NORTEC QUÍMICA recebe o Projeto de Processo Básico e, em menos de 6 meses, a Pfizer já recebia amostra de Espironolactona para desenvolvimento da formulação galênica, em São Paulo. Fato marcante nesta absorção de tecnologia é que, ao longo dos anos, mesmo com as diversas incorporações e fusões ocorridas no mercado farmacêutico (Searle/Monsanto/Pharmacia/Pfizer), a NORTEC QUÍMICA se manteve como produtora e fornecedora deste Insumo Farmacêutico Ativo, sem interrupções. Atualmente, a Pfizer é a detentora das marcas Aldazida® e Aldactone® (Espironolactona), tendo a NORTEC QUÍMICA como provedora para todo o mercado latino-americano: fato relevante para qualificação e currículo, de uma Empresa Química de Ciências da Vida, à época; e, que veio persistindo solidamente como um dos dois maiores produtores mundiais de Espironolactona para a Pfizer.

A NORTEC-NORDESTE QUÍMICA DESENVOLVIMENTOS TECNOLÓGICOS LTDA é agraciada com o XIV prêmio de Tecnologia Liceo (LAO-SP), prêmio de relevância Empresarial, onde concorreu com grandes empresas das áreas de petroquímica, siderurgia, celulose, metal-mecânica, dentre outras. Prêmio recebido diretamente do Exmo. Sr. Presidente da República. A “Pesquisa Premiada” foi o desenvolvimento e a síntese de novas moléculas para o tratamento da Doença de Chagas.

Introdução no mercado Brasileiro da linha de anti-inflamatórios (Diclofenacos), cujos medicamentos de referência são o Voltarem e o Cataflam.

A partir deste ano a Nortec Química focou em seu "nicho" de conceituação "Químico-Farmacêutico" como um produtor independente de Insumos Farmacêuticos Ativos (IFA's); isto é: não integrado à formulação galêmica, que é característica dos Laboratórios Farmacêuticos, seus consumidores e clientes. Nos EUA, Europa, Japão, Canadá, Austrália, os livros de Engenharia Química, e a classe empresarial, qualifica a Nortec Química como um "Outsourcing of Active Pharmaceutical Ingredients" (API's).

O posicionamento empresarial/industrial como Outsourcing of API's (Produtor Independente de Insumos Farmacêuticos Ativos - IFA's), na América Latina, propiciou que as dezenas de Laboratórios Farmacêuticos no Brasil, visualizem a Nortec Química como um não concorrente, nos seus mercados de Medicamentos de Marca (de referência), genéricos e similares: o que fez crescer o número de Parcerias Estratégicas de Suprimento com dezenas de Laboratórios Farmacêuticos, que passam a solicitar a Área Comercial, e a Área de P&D, da Nortec Química, Moléculas Ativas cujo suprimento do exterior (a Itália, era a referência na época) ficavam restritas e mais onerosas provenientes da Europa.

Consolidação de produção do PROPILTIOVRACIL, desenvolvido com tecnologia própria, IFA essencial para o tratamento do HIPERTIREOIDISMO.

Início da produção piloto do “Desnaturante” BENZOATO DE DENATÔNIO, que é um derivado da Lidocaína, com exportação pioneira para o Reino Unido. O Benzoato de Denatônio é o produto mais amargo que se conhece e tem salvado vidas de crianças e adultos, evitando ingestões tóxicas.

Início da fabricação de DIETILCARBAMAZINA (tratamento de Filariose Bancroftiana), em conjunto com a FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ, com especificação e qualidade formalmente aprovadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e CDC – Center for Disease Control do Governo americano.

A Norquisa-Nordeste Química S.A, continua o processo de desativação de seus investimentos no setor de Química Fina/Química de Especialidades Químicas, concentrando seus interesses na área de PETROQUÍMICA, representada pela COPENE S.A.

Em consequência, a NORDESTE QUÍMICA DESENVOLVIMENTOS TECNOLÓGICOS LTDA passa por um processo de reorganização societária. Nascia naquele momento a NORTEC QUÍMICA LTDA.

Obtenção do National Drug Code (NDC) junto a Agência Regulatória americana – FDA (Food and Drug Administration), para exportação de Lidocaina para os EUA.

Início do Projeto de Engenharia Básica para a 2º Unidade de Sínteses Químicas (U-100), com o apoio de um segundo consultor, no caso ex-Cibageigy (empresa Suiça, hoje Novartis), para validar os conceitos aplicáveis às premissas de Good Manufacturing Practices (GMP).

Recebimento do primeiro prêmio SINDUSFARMA (Sindicato da Indústria Farmacêutica), premiação concedida pela Indústria Farmacêutica aos seus melhores fornecedores. Esta premiação se repete anualmente, com a NORTEC QUÍMICA sendo agraciada nos anos seguintes, na categoria de fabricante de Insumos Farmacêuticos Ativos. O prêmio demonstra o reconhecimento do mercado farmacêutico privado (nacional e internacional) ao compromisso da NORTEC QUÍMICA pela Excelência de Qualidade na fabricação de moléculas biologicamente ativas, para uso humano.

Formação de Aliança Estratégica com a empresa ítalo-americana CAMBREX-PROFARMACO para a produção do Insumo Farmacêutico Ativo MIDAZOLAM e seus Sais. Um processo de transferência de tecnologia que permitiu a NORTEC QUÍMICA ser a principal empresa outsourcing produtora de BENZODIAZEPÍNICOS (tranquilizantes) na América Latina. Ainda neste mesmo ano, a NORTEC QUÍMICA é qualificada como Empresa de Base Tecnológica, pela FINEP.

Outro fato de grande relevância neste ano é o início de produção e comercialização do Insumo Farmacêutico Ativo CITRATO DE ORFENADRINA, utilizado na produção do medicamento DORFLEX®, um dos produtos líderes em venda no mercado farmacêutico brasileiro. A NORTEC QUÍMICA introduziu o produto em seu portfólio para atender a demanda do Laboratório SANOFI-AVENTIS,  e hoje é o maior produtor e exportador de Citrato de Orfenadrina no mundo.

Aquisição da planta de Insumos Farmacêuticos Ativos (IFAS) do grupo Roche, localizada em Jaguaré, São Paulo. Este investimento é o marco arrojado no processo de expansão da NORTEC QUÍMICA, qualificando-a para produção de Insumos Farmacêuticos Ativos destinados ao tratamento de doenças do Sistema Nervoso Central (BENZODIAZEPÍNICOS/Tranquilizantes), tais como Bromazepam, Clonazepam, Monocloridrato de Flurazepam e Midazolam, através da aquisição de uma planta aprovada para exportação para os EUA e Europa.

Em 01 de dezembro, a NORTEC QUÍMICA firma com a Rhodia, acordo para comercialização de produtos farmacêuticos no Brasil, tornando-se distribuidor exclusivo da Rhodia, no Brasil, para a linha de Ácido Acetilsalicílico, Ácido Salicílico, Salicilato de Metila, Paracetamol e Guaifenesina. O contrato, ainda em vigor, deu importante impulso aos negócios de distribuição e de diversificação comercial da NORTEC QUÍMICA, ao mesmo tempo em que garantiu à Rhodia, a liderança no mercado de ácido salicílico e ácido acetilsalicílico no Brasil, selecionando a Nortec Química como Parceiro Industrial para comercialização de IFAS daquela renomada Empresa Francesa.

Ano marcado pela entrada do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, através do BNDESPAR, na estrutura acionária da NORTEC QUÍMICA, mediante aquisição de 20% do seu capital social. Neste momento, a NORTEC QUÍMICA é transformada em uma Sociedade Anônima, iniciando o seu projeto de expansão, mediante a construção da terceira unidade de Síntese Química, com os procedimentos de GMP (Good Manufacturing Practices) e de engenharia química dentro de padrões internacionais (Unidade U-200). Em adição, a NORTEC QUÍMICA contratou a consultoria internacional do Dr. Max Lazar (ex-Vice Presidente de Assuntos Regulatórios do Roche, nos Estados Unidos), para revisão do projeto físico e treinamento do pessoal-chave na implantação do Q7A do ICH – norma harmonizada internacional de Boas Práticas de Fabricação.

Como consequência, a Nortec Química S. A, se incorpora como associada à SOCMA (SYNTHETIC ORGANIC CHEMISTRY MANUFACTURING ASSOCIATION), nos EUA, passando a ter acesso internacional aos seus pares, e às normas Avançadas de Produção, e de parcerias Internacionais.

A inauguração da Unidade de Tratamento de Efluentes (UTE 500), projetada pela Coppe (Coordenação de pós-graduação em Engenharia da UFRJ), que acompanhou, desde a fundação da NORTEC QUÍMICA, os processos dos efluentes das reações realizadas, desenvolvendo (desde a escala piloto) micro-organismos que os metabolizassem com segurança. A operação da Unidade Industrial foi o coroamento de um trabalho teórico e científico, realizado entre a Coppe e a NORTEC QUÍMICA.

Ainda neste ano, a NORTEC QUÍMICA protocolou, com sucesso, na AFSSAPS – Agencia Francesa de Controle dos Produtos para Saúde, o DMF (Drug Master File) para o anestésico local PRILOCAINA. A NORTEC foi a segunda produtora desse anestésico de uso tópico no Mundo. Hoje em dia, esse produto está registrado em nove países europeus, sendo exportado regularmente para a União Européia e, também, para Taiwan. No caso da Prilocaína Base, a NORTEC QUÍMICA é o maior produtor mundial do IFA.

Prêmio de Integração América Latina, concedido pelo Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Saúde, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e por Instituições da América Latina, por conta da amplitude das exportações da NORTEC QUÍMICA para países da Região, com excelência na Qualidade.

A NORTEC QUÍMICA é agraciada com o prêmio FINEP de Inovação Tecnológica. No mesmo ano, o Setor de Insumos Farmacêuticos Ativos e medicamentos é definido pelo Governo Brasileiro como setor estratégico para o desenvolvimento econômico do país, dando origem aos Fóruns de Competitividade de Cadeias Produtivas, nos quais a NORTEC QUÍMICA tem tido, historicamente, uma atuação relevante.

Como resultado dos primeiros debates dos Fóruns de Competitividade, o Governo brasileiro institui, através do BNDES, linhas de financiamento destinadas ao Complexo Industrial da Saúde – PROGRAMA PROFARMA. A NORTEC QUÍMICA, confiante no futuro da Indústria Química no país, assume a vanguarda e se torna a primeira empresa a ser qualificada com a linha de financiamento destinada a fomentar programas de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Tecnológica – PROFARMA P,D&I. O projeto apresentado pela NORTEC QUÍMICA envolveu o desenvolvimento e a otimização de processos de fabricação para aproximadamente 30 moléculas biologicamente ativas, com taxa de sucesso superior a 90%, conforme comprovado por auditoria da Área Industrial do BNDES. Essa iniciativa de investimento teve reflexo na expansão do portfólio de produtos da NORTEC QUÍMICA, com a introdução de importantes Insumos Farmacêuticos Ativos para o mercado, como Benzodiazepínicos, Anti-Virais, Anti-retrovirais (anti-AIDS), Broncodilatadores, Anestésicos locais e Fármacos com ação no Sistema Nervoso Central.

A NORTEC QUÍMICA desenvolve processo próprio para produção de FLURAZEPAM, o que lhe rende a primeira patente de desenvolvimento tecnológico junto ao Instituto Nacional de Proteção Industrial - INPI.

Dentro do processo de melhoria de seus controles internos e eficiência de gestão, a NORTEC QUÍMICA implanta o Sistema ERP da Microsiga, integrando suas atividades de produção, planejamento de produção, gestão de estoques, folha de pagamento e contabilidade.

A NORTEC QUÍMICA se consolida como fornecedora estratégica de Insumos Farmacêuticos Ativos para o Ministério da Saúde, assinando, com Farmanguinhos, contratos para produção de Insumos Farmacêuticos Ativos, destinados ao tratamento de AIDS (ZIDOVUDINA e ESTAVUDINA), além de HALOPERIDOL (esquizofrenia) e FENOBARBITAL (anticonvulsivante).

Em 15 de junho a NORTEC QUÍMICA estabelece uma Joint Venture com parceiro internacional CAMBREX(EUA)-PROFARMACO(Itália), para produção de Insumos Farmacêuticos Ativos de alta tecnologia no país. Os primeiros resultados dessa parceria são os lançamentos de FUMARATO DE QUETIAPINA e RALOXIFENO, produtos de alta relevância para o Sistema Único de Saúde.

O Governo Brasileiro decreta a licença compulsória do medicamento antirretroviral EFAVIRENZ, para produção no país, destinada a atender o Programa DST/AIDS do Ministério da Saúde. A NORTEC QUÍMICA então, já estava preparada com a tecnologia de produção desse Insumo Farmacêutico Ativo, a fim de suprir os laboratórios públicos Farmanguinhos e LAFEPE, em substituição ao produto importado. Até porque, no processo de desenvolvimento do Insumo Farmacêutico Ativo, a NORTEC QUÍMICA foi a primeira empresa nacional a especificar o produto para Farmanguinhos, tendo sido a sua matéria-prima (IFA) aquela utilizada no Biolote padrão do Laboratório da FIOCRUZ.

Depositada patente junto ao INPI para processo de fabricação de FOSFENITOÍNA (anticonvulsivante), para uso, inclusive, pediátrico; e sucessor natural da Fenitoína (mantida na linha de produção da NORTEC QUÍMICA desde 1986).

Dentro do espírito da nova Política Industrial do país, capitaneada pelo Ministério da Saúde, com o objetivo de promover o desenvolvimento e o fortalecimento do COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE, são publicadas as portarias 978/08 (M.S.) 128/08 (portaria Interministerial), que estabelecem os primeiros mecanismos de preferência ao produtor nacional, no fornecimento de Insumos Farmacêuticos Ativos aos laboratórios públicos. Sob o amparo dessa nova legislação, a NORTEC QUÍMICA inicia a produção e comercialização de EFAVIRENZ para Farmanguinhos.

Recebimento do Prêmio de Tecnologia da Associação Brasileira da Ind. Química - Abiquim, pela Síntese Inovadora de Fármacos de Excelência para a Saúde Pública (FOSFENITOÍNA).

Em 23 de maio a NORTEC QUÍMICA inicia a distribuição de Fosfatos de Cálcio, através de contrato com a empresa americana Innophos. Esse contratado dá à NORTEC QUÍMICA a exclusividade na distribuição dos produtos da Innophos para o mercado farmacêutico no Brasil e representa uma importante ampliação do portfólio de produtos oferecidos pela NORTEC QUÍMICA aos seus clientes, incorporando excipientes à sua extensa lista de Insumos Farmacêuticos Ativos, tornando-a diversificada comercialmente e financeiramente. 

No modelo de Parcerias Público-Privadas- PPPs, preconizado pelo PAC da SAÚDE, a NORTEC QUÍMICA é indicada pelo Ministério da Saúde para participar dos seguintes projetos:

- TENOFOVIR DISOPROPXIL FUMARATO (anti-AIDS), em parceria com o Laboratório Público FUNED e a empresa BLANVER.

- MICOFENOLATO DE MOFETILA (droga contra rejeição em transplantes de órgãos), em parceria com o Laboratório Público Farmanguinhos e o grupo ROCHE.

Ponto relevante a destacar foi a aprovação da NORTEC QUÍMICA por parte do parceiro internacional ROCHE, em auditoria técnica (profissionais oriundos da planta do grupo Roche na Suíça e na Irlanda). O projeto envolve a produção do primeiro produto de ALTA POTÊNCIA no País, sendo uma importante conquista tecnológica para o Complexo Industrial da Saúde do Brasil.

- RALOXIFENO (tratamento de osteoporose), em parceria com o LABORATÓRIO FARMACÊUTICO DA MARINHA e a empresa BLANVER.

- RIVASTIGMINA (tratamento de Mal de Alzheimer), com o INSTITUTO VITAL BRAZIL e a empresa EMS.

Outro acontecimento de destaque neste ano é a assinatura do contrato de representação comercial com a empresa ALBEMARLE dos EUA, para comercialização de IBUPROFENO e outros IFAs no Brasil. A ALBEMARLE é uma das maiores empresas de Química Fina dos Estados Unidos. No Brasil, a Empresa optou pela NORTEC QUÍMICA para representar, com exclusividade, os seus interesses comerciais na área químico-farmacêutica.

A relevância da ALBEMARLE no País e para a NORTEC QUÍMICA fica acentuada com a expansão da Fábrica de Catalisadores da FCC, no Rio de Janeiro, onde a ALBEMARLE detém 50% do Capital Social, através de joint venture com a Petrobrás – Petróleo Brasileiro S.A.

Ampliação do portfólio de produtos oriundos de Parcerias Público-Privada, com envolvimento da NORTEC QUÍMICA, mediante negociação de novos projetos com absorção de tecnologia de empresas líderes no mercado Químico-Farmacêutico americano e europeu:

- RALTEGRAVIR (anti-AIDS), em parceria com o detentor da patente (Merck Sharp & Dohme) e o Laboratório público LAFEPE.

- PRAMIPEXOL (tratamento de Mal de Parkinson), em parceria com a empresa BOEHRINGER INGELHEIM e os Laboratórios públicos FURP e Farmanguinhos.

Aprovada a Medida Provisória 495/2010, que estabelece preferências financeiras para aquisição de produtos nacionais, em licitações públicas. Essa modificação na legislação de compras públicas é um marco na valorização do produtor brasileiro, valorizando institucionalmente e empresarialmente a NORTEC QUÍMICA S.A.

A NORTEC QUÍMICA assina, com a empresa Bayer Schering, contrato para representação comercial na venda de Insumos Farmacêuticos no Brasil. O contrato inclui no portfólio da NORTEC QUÍMICA três novas moléculas (CIPROFLOXACINA, NIFEDIPINA, MESSALAZINA), ampliando o nível de serviço prestado ao mercado farmacêutico brasileiro. Uma vez mais, um dos maiores grupos internacionais, produtor de Insumos Farmacêuticos Ativos, confia à NORTEC QUÍMICA os seus interesses comerciais no Brasil.

A NORTEC QUÍMICA, seguindo a tendência do mercado Químico-Farmacêutico, inova uma vez mais, entrando na área de Biotecnologia. Para tanto, a Empresa formaliza parcerias com a Universidade Federal Fluminense – UFF e com a Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ para desenvolvimento de rotas biotecnológicas para produção de Intermediários usados na fabricação de Espironolactona e Pseudoefedrina, produtos estratégicos no portfólio da Empresa, alicerçando-as em projetos previamente aprovados pela FINEP.

A NORTEC QUÍMICA inicia a produção de Benznidazol, IFA utilizado no tratamento da Doença de Chagas, mediante tecnologia transferida pelo Laboratório ROCHE para o Governo brasileiro. A NORTEC QUÍMICA é a única fabricante desse medicamento no mundo, abastecendo o Ministério da Saúde e a OMS, nos programas de combate à Doença de Chagas na América Latina.

Em reunião histórica, no dia 19 de Outubro de 2011, na sede do BNDES, no Rio de Janeiro, a Sra Presidenta da OMS (Organização Mundial de Saúde) mostra o reconhecimento Internacional da essencialidade da NORTEC QUÍMICA S. A, em produzir uma DROGA FOR NEGLECTED DESEASES (Droga para a doença Negligenciada), prevalecendo o caráter TECNOLÓGICO / INDUSTRIAL e SOCIAL de uma empresa deste segmento de Ciências da Vida.

A NORTEC QUÍMICA inicia em 2012 um novo ciclo de investimentos, com um programa de P&D e a duplicação da sua unidade U-200, com investimentos superiores a R$ 50 milhões. O projeto prevê full compliance com as demandas regulatórias do FDA (EUA) e da Comunidade Europeia, o que permitirá que a empresa amplie as suas exportações para mercados altamente regulados, de maior valor agregado. Os conceitos de Engenharia Básica possibilitarão a Produção Inédita na América Latina de Oncológicos, Oncológicos Negligenciados e Insumos Farmacêuticos Ativos de Alta Potência (HPAPI), especialmente IMUNOSSUPRESSORES, em Unidades Industriais Multi-Propósito com Transferências de Tecnologia, decorrentes do Programa de Desenvolvimento de Produção (PDP's) do Ministério da Saúde, e apoio financeiro do BNDES.